PALAVRAR
Ler e escrever
é resistir

A sua revista literária. Vozes conhecidas.
Novas vozes que passará a conhecer.

Receba a revista no seu e-mail

Ao subscrever está a aceitar as nossas condições de privacidade. Pode remover-se a qualquer altura.

Revista Literária

Caracterizada pela diversidade de rubricas e assuntos (História da literatura, escrita criativa, escrita motivacional, revisão e edição de textos, crítica literária), a PALAVRAR — Ler e escrever é resistir partilhará crónicas, contos, histórias infantis, poesia de autores desconhecidos, a par de crónicas, artigos de opinião e poesia de vozes conhecidas no panorama literário nacional. Incluirá ainda o questionário de Proust a um convidado especial por edição.

Objetivo: possibilitar uma aprendizagem com quem vai na dianteira e dar voz a quem deseja gizar caminho.

Será leve e próxima dos leitores, mas não superficial. Funcionará como plataforma de difusão de novas vozes literárias, alargando o pouco espaço atualmente existente em Portugal com esse propósito.

Para o mote «Ler e escrever é resistir», inspirámo-nos nas palavras de Lídia Jorge, que afirmou certa vez: «A literatura é um ato de resistência absolutamente indispensável» e é preciso «publicar, ler e divulgar». Queremos, definitivamente, fazer parte dessa resistência.

Tal como Fernando Pessoa também temos «o gosto de palavrar».

Venha «palavrar» connosco.

o que pode ler

A Velha das Fitas Vermelhas

Conheci-a, ao acaso, em reportagem, na vida urbana, entre multidões comuns, quando não aparentava ter mais do que vinte anos

Descortinando Palavras

Quem lê e escreve apreende e compreende
Que a palavra fica ferida ao ser despida do seu acento, desprovida da sua consoante...

Literatura: a viagem infinita

Creio que não há nada que me cause tanta estranheza como ouvir alguém dizer que não gosta de ler.

A vida (mais ou menos)

Nunca ninguém sabe a força que tem até a força se tornar a (nossa) única opção. Comecemos pelo fim.

Chegado o fim

Se o que me dizes é verdade, não sei quanto tempo ainda me resta, por isso, serei célere. Quero contar-te a minha história para que a espalhes por este Portugal.

QUESTIONÁRIO DE PROUST A ...

Momento de poesia

Resumo
Prémios recebidos

Nuno Júdice nasceu no Algarve, em 1949. Professor universitário, assumiu em 2009 a direção da revista Colóquio-Letras da Fundação Calouste Gulbenkian. Publicou o primeiro livro em 1972 e é um dos mais importantes nomes da poesia contemporânea.

Recebeu os mais importantes prémios de literários nacionais e internacionais, entre os quais: Pen Clube (1985), Prémio D. Dinis da Fundação da Casa de Mateus (1990), da Associação Portuguesa de Escritores (1995), Bordalo da Casa da Imprensa (1999), Cesário Verde e Ana Hatherly (2003) e Fernando Namora (2004). Em 2013, foi distinguido com o XXII Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana (Espanha); em 2014, com o Prémio de Poesia Poetas del Mundo Latino Víctor Sandoval (México); em 2015, com o Prémio Argana de Poesia, da Maison de la Poésie de Marrocos e o Prémio Literário Fundação Inês de Castro – Tributo de Consagração; e, em 2016, com o El Ojo Crítico Iberoamericano de Radio Nacional de Espanha.

colunistas
Ana Salgado
Ana Salgado

Língua mátria

David Roque
David Roque

Gaveta criativa

Filipa Melo
Filipa Melo

A Literatura pelos tempos

João Ventura
João Ventura

Crónica do viajante

Júlia Domingues
Júlia Domingues

Da palavra à força

Luís Cardoso
Luís Cardoso

Lusofonias

Sandra Barão Nobre
Sandra Barão Nobre

A Biblioterapeuta sugere

Tânia Ganho
Tânia Ganho

Palavra de leitor

Maria Luisa Francisco
Maria Luisa Francisco

Resistentia poetica

novas vozes

Quando um grupo de apaixonados pela escrita e pelo prazer da leitura se reúne e trabalha afincadamente, o resultado só poderia ser uma coleção inédita de contos, crónicas, histórias infantis, poesias, textos motivacionais, que não deixará nenhum leitor indiferente.

Conheça estas novas vozes, autores de várias idades, profissões e portugalidades com um interesse comum pela magia das palavras.